Na minha companhia

Sabe esses dias em que você acorda e tudo o que você quer é estar com você? Tudo o que você precisa (pelo menos por alguns instantes) é estar na sua doce e turbulenta companhia.

O diálogo com alguém se torna mais difícil, e quando há a única coisa que sai – com muito esforço –  é o “huummm… uhummm! ou um leve aceno com a cabeça para concordar com o que você quase não está ouvindo. O que você quer é ficar quietinha com você, ouvir o que o coração quer te dizer e o que a alma precisa descarregar para não ficar pesada demais.

Hoje foi um desses dias que eu quis sentar e conversar comigo. A chuva fininha caia no quintal molhando a terra e deixando aquele cheirinho de molhado. As vezes o coração também fica seco então é preciso deixar a chuva cair e molhar pra ter essa sensação boa que é ter o aroma gostoso de coisa fresca e nova saindo de dentro de si e enchendo de novo. Cheguei em casa e ufa!.. Não tem ninguém, a companhia hoje sou eu e a Fanny que escolhe sentar na antiga cadeira amadeirada que era da minha avó e decide dormir enquanto eu preparo um café e escrevo alguma coisa só para tentar me esvaziar. Estamos só nos na varanda, o cheiro do café é nossa companhia e nossa música hoje é o som da chuva.

IMG_4072.JPGIMG_4093O ar está fresquinho, respiro fundo e sinto o ar entrando trazendo vida, o velho está saindo e processo continua até que eu perceba que tenho mais do que mereço. Porque a felicidade não se resume em um momento específico e único, mas em pequenas lembranças e fatos que acontecem no decorrer dos dias e anos. Como uma lupa eu paro e analiso euzinha aqui, às vezes complico tanto, vou correndo, me preocupo, deixo os nervos ficarem a flor da pele e com as pessoas que mais amo já não sobra mais tanta paciência como antes. Faço um alto exercício para não me esquecer que as tarefas diárias não podem me fazer perder a leveza das coisas, afinal, são elas: as delicadezas do olhar, a calma para resolver conflitos e o interesse em ouvir que nos faz mais humanos. Sou uma mistura de confusões e simplicidade, calma e impaciência, afetos e distância, orvalho com tempestades, açúcar e limão. São nesses dias que eu agradeço pelas pessoas que carrego no peito e que caminham comigo, com essa mistura de sentimentos e defeitos e que sou…

Não é todo dia que consigo estar a sós comigo. Que bom que hoje foi assim…

Anúncios

Comente aqui sobre essa nota ↓

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s