Cada dia é sempre diferente dos outros

Primeiramente: ‘Tô’ de volta e já prometi que esse ano vai ter muito mais notas de uma vida.

Segundamente: Que saudade desse cantinho que há pouco mais de um ano reservei para colar palavras soltas que viviam passeando por mim. Fazia tempo que não passava por aqui e adivinha porque? O ano já começou com tudo massss:

Voltei, e voltei feliz!

O sumiço é por conta dos trabalhos finais da faculdade, dos preparativos para colação de grau e toda aquela bagunça que acabou se tornando o começo do ano. Precisei parar para organizar a bagunça das ideias e me restabelecer pra não ficar vivendo só por viver e quando perceber muito tempo já se passou.

Ainda não está tudo no seu devido lugar, tenho muita coisa para organizar. Não está bem como poderia estar, mas que graça teria ter tudo sempre certo e organizado? Bom ou ruim, a vida é assim: sacode a gente, faz bagunça, exige mudanças, nos vira do avesso e depois nos põe para dormir mãããs em seguida faz tudo de novo e o mais importante: nos move.

2015 foi um ano de muitas mudanças pra mim, tantas que quase não consigo contar. Já sei que esse ano não será diferente, e no próximo e próximos. Pensar nisso já não me assusta mais, uma hora a gente entende que não tem controle de várias coisas que acontecem ao nosso redor e dentro de nós e é isso que nos faz seres humanos.

E janeiro? Mal chegou e já foi embora. Chegou e já mostrou que não importa o que aconteça a gente precisa estar preparado pra toda e qualquer surpresa que a vida nos traz.

E tcharãn!!! Não importa quantos anos você faça, acredite: ninguém precisa se mostrar forte e maduro o tempo todo. Chorar é preciso, pedir colo também, reconhecer que não pode com tudo faz parte.

Ainda tem muito chão pela frente, muita estrada pra percorrer e mais um ano todinho por vir e quem pode prever as coisas boas que tem em na próxima esquina? Quem pode dizer como serão os próximos dias? ‘Tô’ só querendo aproveitar o dia de hoje sem toda essa preocupação que nos cerca sobre o amanhã.

Enquanto isso, vou deixando  as janelas do escritório abertas só pra sentir o vento ir e vir pra me lembrar que há vida lá fora, aqui dentro. Logo, o barulho dos carros e das buzinas vão ser as vozes de crianças cheias de energia correndo de lá pra cá me ensinando e relembrando o que vivi e o que ainda tenho pra viver. Pra me lembrar que as vezes é preciso fechar os olhos que enxergam as sujeiras do mundo e no fundo das pessoas e de mim só para abrir os olhos da alma e enfim enxergar com o coração as coisas boas que existem…

Agora vai Isabela: afrouxe as roupas, toma um café, abre as janelas e o coração porque esse é o ano de evolução. Sem esquecer de que é melhor ser do que ter e os milagres acontecem quando a gente vai a luta. Sossega, o que tem que ser seu chega sempre no tempo certo de Deus.

Cada dia é sempre diferente dos outros, mesmo quando se faz aquilo que já se fez. Porque nós somos sempre diferentes todos os dias, estamos sempre a crescer e a saber cada vez mais, mesmo quando percebemos que aquilo em que acreditávamos não era certo e nos parece que voltámos atrás. Nunca voltamos atrás. Não se pode voltar atrás, não se pode deixar de crescer sempre, não se pode não aprender. Somos obrigados a isso todos os dias. Mesmo que, às vezes, esqueçamos muito daquilo que aprendemos antes. Mas, ainda assim, quando percebemos que esquecemos, lembramo-nos e, por isso, nunca é exactamente igual”.

. José Luis Peixoto in Abraço .

 

 

 

Anúncios

Um pensamento sobre “Cada dia é sempre diferente dos outros

Comente aqui sobre essa nota ↓

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s